quinta-feira, março 16, 2006

Johnny & June, o filme


Se você ainda não foi ver o filme Johnny & June (Walk The Line, 2005), vá rapidinho ao cinema mais perto de você e assista antes que saia de cartaz.

Joaquin Phoenix e Reese Whiterspoon estão muito bem nos papéis de Johnny Cash e June Carter, ícones da música country americana, nesta bonita história de amor recheada de momentos intensos, de perdas, de frustrações, de vícios, mas onde o amor triunfa no final e dá forças para superar qualquer problema.

Joaquin, ganhador do Globo de Ouro, foi escolhido pelo próprio Johnny Cash para interpretar o papel e como June Carter já havia falecido antes de começar a produção do filme, Reese foi encontrar inspiração para desempenhar a personagem nos vestidos que June usava, atuação esta que lhe rendeu o Oscar este ano.

Sem nenhuma experiência musical antes do filme, tanto Joaquin quanto Reese foram treinados durante 6 meses por T-Bone Burnet, produtor musical de filmes como Cold Mountain com Nicole Kidman e Jude Law e O Boy, Where Art Thou, com George Clooney e John Turturro.

O filme, produzido pela 20th Century Fox, fora rejeitado antes por estúdios como Sony, Paramount, Columbia Pictures e Warner Bros e Joaquin e Reese também tiveram que aprender a tocar violão e harpa manual para desempenhar os papéis.

Quem não levava fé na Reese por causa dos papéis abobalhados em "Legalmente Loira" ou "Sweet Home Alabama', vai se surpreender, principalmente quando ela canta. Joaquin, intenso como sempre, está muito bem no papel e até arranca a pia do banheiro numa cena em que Johnny se exalta e começa a quebrar tudo (não estava no script arrancar a pia, mas já que ele arrancou, ficou, hehehe).

O figurino é lindo, a ambientação de época tá nota dez, a trilha sonora é muito boa, todas as músicas foram cantadas por Joaquin e Reese, sem dublagem alguma e o único ponto negativo eu daria para o ator que interpretou Elvis Presley, que era bem fraquinho.

Na vida real, forte mesmo foi o amor de Johnny e June, que ficaram casados por 35 anos e só se separaram quando ela morreu, em 2003. Mas a separação durou pouco, pois ele se foi 4 meses depois dela. Isso é que é amor...